Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Web Original

Como saber se algo é verdade?

From The Herald of Christian Science - May 16, 2022


Havia algo naquela foto da Ucrânia no meu feed das redes sociais que não parecia certo. Inspirava sentimentos de coragem e fazia meu coração se enternecer. Mas um pequeno ponto de interrogação pairava na minha cabeça. Eu não estava convencida de que a foto era real.

Alguns minutos de investigação (graças à busca reversa de imagem!) e ficou claro que minha intuição estava certa. A foto era verdadeira, mas a legenda que a descrevia era falsa. Era uma foto antiga que tinha sido postada como se fosse atual. “Desinformação clássica”, alguém comentou, depois que a verdade veio à tona.

Você não precisa ser um pensador espiritual para estar alerta à desinformação ou informações incorretas, mas esse pequeno exemplo destaca o modo como a espiritualidade nos prepara de maneira poderosa para lutarmos a favor da verdade.

Espiritualidade pode parecer uma palavra muito vaga, porque é usada de modo muito variado. Então vamos defini-la. Nesse caso, a palavra espiritualidade se refere a uma percepção das coisas, a qual não se baseia nos cinco sentidos materiais, nem nas nossas próprias opiniões ou perspectiva, nem em coisa alguma que fomos levados, pela maneira como fomos criados, a acreditar. A espiritualidade se refere à nossa fidelidade ao que é divino — a Deus, que é o Espírito e a Verdade. Trata-se de deixar nossos pensamentos fluírem do Espírito. E de obter nossas informações procedentes diretamente da Verdade, em vez de aceitá-las quando proveem de todas as outras fontes ao nosso redor.

Jesus é um grande exemplo de espiritualidade em ação. Ele estava tão sintonizado com Deus, era tão fiel à Verdade, tão seguro de que o bem é o único poder e realidade, que não podia ser enganado por qualquer coisa que parecesse oposta à verdade ou ao bem. Jesus não era influenciado pelas mentiras que as pessoas diziam sobre ele, podia até perceber o que as pessoas estavam pensando — especialmente quando era incorreto — e, em seguida, pôr a descoberto e corrigir o que estava errado. Ele investigava os fatos espiritualmente, e quando o que as pessoas diziam ou faziam, ou o modo como as coisas pareciam ser, não batiam como certos, ele era o primeiro a perceber o que era verdadeiro, e isso o ajudava a corrigir a mentira e saná-la.

Podemos não nos sentir exatamente como Jesus quando checamos TikTok e Instagram. Mas cada um de nós pode ser uma influência poderosa para o bem, deixando-nos guiar por um senso mais espiritual das coisas. Essa intuição espiritual é uma bússola interna que nos ajuda a distinguir entre a verdade e a ficção. Às vezes, essa percepção pode vir como palavras ou um pensamento, dizendo-nos para parar, pensar, e examinar a situação mais a sério. Ou às vezes podemos sentir que precisamos parar e escutar mais profundamente a Verdade, para saber o que é real. Quanto mais nos habituarmos a identificar esse alerta do senso espiritual, mais fácil nos será reconhecê-lo — e cada vez mais confiaremos no senso espiritual para nos guiar corretamente.

Quando fazemos assim, acontece alguma cura. Primeiro, começamos a ter discernimento divino ao abordar a mistura de informação e desinformação das mídias sociais. E assim podemos ajudar os outros a distinguir o que é verdade do que não é. Também serve para nos manter calmos quando somos confrontados por vídeos ou imagens que tenderiam a nos assustar. Antes de reagir ou responder, podemos fazer uma pausa, sentir dentro de nós esse fluir do senso espiritual, guiando-nos na direção certa, e então saber se o que estamos vendo é informação correta ou algo projetado para manipular nossas emoções. Podemos até permitir que o senso espiritual nos eleve a uma percepção mais espiritual da realidade, para que, mesmo quando o que estamos vendo seja preocupante, possamos permanecer assegurados por Deus de que o bem ainda assim é real, ainda assim está presente e atuante.

O discernimento espiritual pode parecer algum tipo de poder especial difícil de conseguir. Mas realmente já está dentro de cada um de nós, pois somos a expressão da Verdade. Somos os representantes da Verdade. Saber isso nos ajuda a acabar com a desinformação e nos possibilita lutar e defender o que é real e certo — sim, mesmo quando estamos navegando nas redes sociais.

ACCESS MORE GREAT ARTICLES LIKE THIS!

Welcome to Herald-Online, the home of The Christian Science Herald. We hope you'll enjoy this article that has been shared with you.

To receive full access to the Heralds, activate an account using your print Herald subscription, or subscribe to JSH-Online today!

The Mission of the Herald

In 1903, Mary Baker Eddy established The Herald of Christian Science. Its purpose: "to proclaim the universal activity and availability of Truth." The definition of "herald" as given in a dictionary, "forerunner—a messenger sent before to give notice of the approach of what is to follow," gives a special significance to the name Herald and moreover points to our obligation, the obligation of each one of us, to see that our Heralds fulfill their trust, a trust inseparable from the Christ and first announced by Jesus (Mark 16:15), "Go ye into all the world, and preach the gospel to every creature."

Mary Sands Lee, Christian Science Sentinel, July 7, 1956

Learn more about the Herald and its Mission.